Revisão do INSS irá priorizar os Auxílios Doenças

Revisão do INSS irá priorizar os Auxílios Doenças
Avalie

O INSS irá realizar uma revisão nos benefícios do Auxílio Doença concedidos para trabalhadores. O órgão divulgou recentemente através de publicação no Diário Oficial da União, quais serão as regras para revisão dos benefícios por incapacidade.

O Instituo Nacional do Seguro Social irá começar a convocação pelos cidadãos que estão afastados por tempo indeterminados e, que estão há mais de 2 anos recebendo o benefício. O chamado pente-fino também irá afetar quem receber aposentadoria por invalidez. O Governo pretende revisar mais de 530 mil benefícios durante o processo.

Como será revisão do Auxílio Doença

A prioridade do INSS será a revisão do benefício dos trabalhadores que estão afastados pelo INSS temporariamente. Os primeiros a serem chamados para uma nova perícia são os que conseguiram o Auxílio Doença através da justiça, sem determinação da data de encerramento do benefício ou sem dia de comprovação da incapacidade.

Em seguida, serão convocados os cidadãos que estão recebendo o auxílio por mais tempo. O último critério será a idade do segurado, quem for mais jovem deverá ser chamado primeiro para uma nova perícia.

revisao-inss-auxilio-doenca

Convocação para nova perícia

Os segurados que se encaixam no perfil de análise do INSS, serão convocados por meio de correspondência para realizarem uma nova perícia. O órgão ainda vai definir os procedimentos internos para início das revisões ainda em agosto.

O cidadão que recebe o benefício por mais de 2 anos, não precisa procurar atendimento, basta aguardar sua convocação. Aposentados por invalidez com 60 anos ou mais não serão chamados para revisão.

As perícias serão feitas por meio de agendamento do INSS, sendo feitas até quatro procedimentos por dia. Serão realizados nas primeiras horas de trabalhado do cidadão. Nos fins de semana, poderão ser realizadas perícias em forma de mutirão, até o limite de 20 por dia por perito.

Mudanças no Auxílio do INSS

Caso o segurado do INSS tenha conseguido o benefício na justiça ou no posto e não houver prazo para encerramento, o benefício será suspenso em 120 dias contados da data da concessão. Só não será suspenso caso o cidadão faça o pedido de prorrogação do auxilio-doença.

Os segurados que recebem o benefício e estão impossibilitados de realizar sua função deverão passar por reabilitação profissional. Se não recuperar a capacidade, poderá ser aposentado por invalidez.

Quando o segurado para de contribuir, ele perde a chamada  de “qualidade do segurado”. Para voltar a ter cobertura previdenciária, é preciso ter um mínimo de 12 contribuições no auxílio-doença e na aposentadoria por invalidez. No salário maternidade, é preciso pagar mais 10 meses para ter direito a cobertura novamente.

O segurados que recebem o LOAS (benefício assistencial), deverão se inscrever no cadastro único para programas sociais.

Deixe seu comentário